FlatOut!
Image default
Zero a 300

Ford pode encerrar produção também na Índia, FIA revela o novo carro de Fórmula 1 para 2022, Koenigsegg Jesko é revelado em versão de produção e mais


Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco!

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Ford pode encerrar produção também na Índia

Depois de encerrar a produção de carros no Brasil – e da gigantesca repercussão da decisão –, a Ford pode fazer o mesmo também na Índia.

Os rumores são alimentados por informações obtidas pela imprensa local. Os veículos indianos dizem que a Ford estuda a possibilidade de fechar suas fábricas no país porque, além de estar com as linhas de produção paradas, as vendas de carros da Ford no país passam por uma baixa sem precedentes.

Caso a informação seja confirmada, o processo deve ser o mesmo que ocorre no Brasil – a Ford deve tentar ceder suas instalações sob licença para outras fabricantes, ou mesmo vendê0las. No total, são duas fábricas: uma na cidade de Chennai, e outra em Sanand. Ambas são responsáveis pela produção do Ford EcoSport e também do Ford Figo (versão indiana do Ka). As duas plantas têm alta capacidade de produção anual – 200.000 na primeira e 350.000 na segunda. Contudo, as vendas de carros da Ford no mercado local não têm passado de 3.000 exemplares por mês.

A Ford foi procurada pela imprensa indiana para comentar os boatos, mas evitou declarações conclusivas – disse apenas que segue avaliando investimentos no país e que definirá um plano de ação até o final de 2021.

Este é o novo carro de Fórmula 1 para 2022

A FIA enfim revelou ontem (15) o novo carro de Fórmula 1 que será utilizado a partir da temporada de 2022. Ou melhor, um carro feito de acordo com o novo regulamento.

O monoposto foi apresentado em Silverstone, às vésperas do GP da Grã-Bretanha nesse final de semana. E ele ficou bem parecido com a maquete apresentada em 2019, quando a FIA anunciou o novo regulamento pela primeira vez.

De cara, chama a tenção o bico dianteiro, com formato mais achatado, e também as rodas parcialmente cobertas por uma capa com função aerodinâmica – elas ajudam a reduzir e redirecionar a turbulência que, de outra forma, iria direto para a traseira. A asa dianteira possui várias lâminas e abas elevadas nas laterais – que trazem pequenos winglets nas extremidades.

A asa traseira, por sua vez, ganhou um desenho mais baixo e largo, com as extremidades curvadas. A Fórmula 1 diz que a principal função do novo design é, novamente, reduzir a turbulência aerodinâmica – mas, nesse caso, o maior beneficiado será o carro de trás, que terá um fluxo de ar mais limpo e, consequentemente, poderá se aproximar e ultrapassar com mais facilidade.

A aerodinâmica simplificada, porém, não significa menor eficiência ou menos downforce. A diferença está no uso do efeito solo, com dutos sob o carro para reduzir a pressão na região e “sugar” o veículo para junto do asfalto.

É claro que o carro apresentado em Silverstone é apenas uma referência – as equipes obviamente terão seus próprios chassis, e explorarão o regulamento da forma que acharem melhor e mais eficiente.

 

Koenigsegg Jesko é revelado em versão de produção

O Koenigsegg Jesko, revelado como conceito no Salão de Genebra de 2019 (lembra?), finalmente ganhou sua versão de produção. O carro foi apresentado hoje (16) com uma chamativa pintura laranja – referência ao Koenigsegg CCR, de 2004 i e estilo muito próximo da versão conceitual. A Koenigsegg aproveitou para anunciar o início da produção dos 125 exemplares previstos.

O sucessor do Agera começará a ser entregue no último trimestre do ano, em duas versões: uma ajustada para entregar desempenho máximo na pista; e outra chamada Absolut, com acerto específico para superar os 482 km/h (300 mph).

O Koenigsegg Jesko usa um motor V8 biturbo de cinco litros que, com virabrequim forjado e injeção de ar para entregar 1.600 cv quando abastecido com etanol E85. Mas o motor é flex e também pode ser abastecido com gasolina – nesse caso, a potência cai para “apenas” 1.280 cv. O torque máximo é de 152,9 kgfm.

O motor é ligado a um revolucionário câmbio de nove marchas com sete embreagens banhadas a óleo que, segundo a Koenigsegg, pesa apenas 90 kg. Graças ao sistema multi-embreagem, as trocas de marcha ocorrem em apenas 20 milissegundos – é o câmbio mais rápido do mundo, de acordo com a Koenigsegg.

Falando em peso, o Jesko tem 1.400 kg em ordem de marcha – o que o torna um dos hipercarros mais leves do mercado.

O Koenigsegg Jesko custará a partir de US$ 3,16 milhões, o que dá por volta de R$ 16 milhões em conversão direta.

 

Nova Harley Davidson Sportster S é revelada com o mesmo motor da Pan America

Com o fim da linha Sportster, a Harley Davidson perdeu seu modelo mais acessível. Mas agora o nome está de volta – e, desta vez, em uma cruiser com pegada esportiva e o mesmo motor DOHC Revolution Max de 1.252 cm³ usado pela big trail Pan America.

A adoção do propulsor mais moderno evidencia que a Sportster S não é uma H-D de entrada, acessível e simples. Ao contrário: trata-se de uma moto sofisticada, com influências da Fat Bob e também das flat trackers de antigamente – leia-se, a clássica XR 750, com banco monoposto, traseira curta e saídas de escape elevadas.

Na Sportster S o motor Revolution Max entrega 121 cv a 7.500 rpm e 12,9 kgfm de torque a 7.500 rpm, moderados por uma caixa de seis marchas com transmissão por correia. A moto pesa 228 kg com fluidos, e tem velocidade máxima de 220 km/h.

A Harley-Davidson Sportster S tem cinco modos de condução (Road, Sport, Rain e mais dois modos configuráveis), controle eletrônico de tração, inibidor de empinada, cruise control, monitor de pressão dos pneus e freios ABS que também atuam nas curvas. O painel é digital, com tela redonda de 4 polegadas de diâmetro e tela TFT colorida – com direito a navegador por GPS (usando um aplicativo proprietário no smartphone, pareado via Bluetooth).

A nova H-D Sportster S ainda não tem previsão de chegada ao Brasil – aliás, já passou da hora de a tradicional fabricante americana renovar seu portfólio por aqui. Pelo visto, porém, eles querem arrumar a casa lá nos Estados Unidos. Essa nova fase da marca tem tudo para dar um jeito nisso.

 

Mercedes-Benz 190E Cosworth que supostamente foi de Ayrton Senna vai a leilão

Você provavelmente conhece a história da corrida de Mercedes-Benz 190E Cosworth da qual participaram diversos pilotos de Fórmula 1, incluindo Ayrton Senna – a Nürburgring Race of Champions, que aconteceu em 1984.

Ayrton Senna venceu a corrida, como contamos nesta matéria. Mas não foi a última vez que ele esteve ao volante de um 190E Cosworth: em 1986, dois exemplares do especial de homologação para a DTM foram entregues à equipe Lotus de Fórmula 1 para uso interno – tanto dos pilotos dos diretores da equipe. E agora, um desses carros vai a leilão.

A Bonhams, agência responsável pela venda, não explica exatamente como tudo aconteceu. Contudo,  documentos que comprovam o uso do carro por Ayrton Senna – embora deixe implícito que o comprador terá de fazer sua própria pesquisa para comprovar a autenticidade dos papéis. A qualidade do veículo, porém, é garantida – em dezembro de 2020 o 190E Cosworth passou por uma restauração parcial, incluindo a troca do assoalho, das caixas de ar e para-lamas. Motor e câmbio estão em boas condições, e o registro do carro junto às autoridades de trânsito do Reino Unido (onde o carro se encontra) estão em ordem.

Vale observar que este 190E Cosworth em especial é um carro da primeira fase, com motor de 2,3 litros com 183 cv e carroceria estreita – as versões Evolution e Evolution II, por sua vez, tinham para-lamas alargados (bem maiores no Evo II) e motor de 2,5 litros.

O sedã alemão será leiloado amanhã (17) e a Bonhams espera que ele seja arrematado por algo entre £25.000 e £30.000, o que dá por volta de R$ 180.000 e R$ 210.000 em conversão direta. Sinceramente, parece uma pechincha, mas não duvidamos que, dada sua conexão com Senna, o carro seja vendido por muito mais.

 

Este Uno 1.5R pode ser seu!

Participe!

Clique aqui e veja como

Compartilhe agora