FlatOut!
Image default
Top WTF?

Os recordes automotivos mais inusitados de todos os tempos


“Tudo o que é demais enjoa”. A velha máxima pode ser aplicada a muitas coisas – e isto inclui até mesmo os fabulosos recordes de Nürburgring, que há alguns anos passaram de uma competição informal fechada entre as fabricantes para tornar-se um espetáculo e uma ótima fonte de combustível para discussões entre entusiastas.

Mas certas coisas acabam saturando depois que somos expostos a elas por tempo demais. Com os recordes de Nürburgring foi exatamente isto o que aconteceu. Era bacana acompanhar as disputas em qualquer segmento, dos hot hatches aos supercarros feitos para a pista, mas à medida em que os tempos foram ficando mais próximos do limite e as empresas começaram a inventar seus próprios recordes – como o infame recorde para “carros executivos de quatro portas” que o Panamera conquistou recentemente – a coisa meio que desandou. Não é um recorde que faz muito sentido.

Por outro lado, esta história toda nos lembrou que existem recordes automobilísticos que fazem menos sentidos ainda. E alguns sequer são relacionados ao desempenho do carro – na pista ou fora dela. Alguns, na verdade, beiram o cômico de tão específicos ou absurdos. Não estamos falando do carro mais veloz, do carro mais rápido, do menor tempo no quarto-de-milha. Estes são recordes “comuns”. O que veremos a seguir são as esquisitices.

 

O carro mais cabeludo do mundo

Sim, você leu certo: o carro mais cabeludo do mundo. Por alguma razão, uma mulher chamada Maria Lucia Mugno, de Salerno, na Itália, resolveu revestir seu Fiat 500 com cabelo humano. Muito cabelo humano. Tanto que ela quebrou este recorde duas vezes.

A primeira foi em 2010, quando o clássico italiano acumulava 100 kg de cabelo. Depois, em 2014, Maria Lucia passou 150 horas costurando mais 20 kg de fios ao teto do carro, em um arranjo com formato de asas de borboleta, quebrando seu próprio recorde. Então… parabéns para ela?

Ao entrar no carro, surpresa: mais cabelo — que cobre tudo: portas, bancos, painel, e até o volante, cuja única parte exposta é o logo da Fiat.

Marialucia é cabeleireira mas, aparentemente, não se contenta em fazer apenas penteados. Ela é obcecada por cabelo e, com a ajuda de seu “assistente artístico” Valentino Stassano, já fez várias outras “esculturas” de cabelo humano — instrumentos musicais, móveis, roupas e objetos de decoração. Enfim, objeto perfeitos para… alguma pessoa obcecada por cabelo humano. Maria Lucia compra todo este cabelo da Índia, e diz que prefere cabelo indiano porque tem fios mais resistentes que o cabelo europeu. Segundo a própria, já foram investidos quase € 100.000 nele (equivalentes a mais de R$ 660.000 em 2015).

E ela dirige seu Fiat 500 diariamente: o carro serve como chamariz para seu salão de beleza e para Maria Lucia ter investido tanto dinheiro nele, deve estar dando certo.

 

O carro mais longo do mundo

O carro produzido em série mais longo do mundo – excluindo-se limousines – é o Chrysler Imperial LeBaron, de 1973: ele tinha absurdos 5.997 mm de comprimento. Mas se o assunto for o recorde absoluto e levar em consideração projetos independentes, a coisa fica ainda mais impressionante.

O atual recoridsta é uma limousine de 12 eixos e 26 rodas (um dos eixos tem pneus duplos) feita por um californiano chamado Jay Ohrberg. Chamada “American Dream” (claro…), ela tem 30,5 metros de comprimento e o carro possui um mecanismo que o faz dobrar ao meio nas curvas, como um ônibus sanfonado. Também tem uma piscina com trampolim, um heliponto, uma cama king size com colchão d’água e múltimpos ambientes no interior.

O ponto de partida foi um Cadillac Eldorado da década de 1970 como ponto de partida. Ohrberg trabalhou na customização do final da década de 1980 até meados dos anos 1990, quando o recorde foi conseguido pela Guinness World Records. O veículo foi usado por produtoras de cinema de Hollywood por alguns anos sob empréstimo até o início dos anos 2000, quando foi abandonado em um galpão. Lá, a limousine ficou até 2012, quando o Museu de Ensino Automotivo de Nova York comprou o carro para utilizá-lo como laboratório de customização e manutenção em seus cursos.

 

A volta mais rápida em Nürburgring… sobre duas rodas

Falando em recordes estranhos em Nürburgring, um deles chamou nossa atenção. Em 2016, o piloto-dublê chinês Han Yue deu uma volta completa no Inferno Verde ao volante de um Mini Cooper em 45min59s. Não parece tão impressionante… até você ficar sabendo que a volta toda foi feita sobre duas rodas.

Se você sempre se perguntou como esta manobra é feita sem a ajuda de suportes, explicamos: é preciso muita perícia, fazendo correções no volante, acelerador e freios para manter o centro de gravidade estável e evitar que as quatro rodas toquem o chão. Foi por isso que a volta de Yue demorou tanto tempo – ele precisou conduzir o Mini a uma velocidade média de 28 km/h.

O carro também foi equipado com dois pneus especiais do lado do motorista – parecidos com pneus off-road, porém com borracha sólida, a fim de que as paredes do pneu suportassem o peso do carro por tanto tempo sem deformar e sem desgastar-se em excesso.

 

A volta mais rápida “às cegas” em Silverstone

Nem todo recorde precisa ser bizarro para ser impressionante. Em 2016, o piloto Ed Morris estabeleceu um novo tipo de recorde no circuito britânico de Silverstone: ao volante de um Alfa Romeo Giulia Quadrifoglio com os vidros tampados, ele conseguiu virar 1min44s3 e atingir velocidades superiores a 160 km/h.

Para isto, ele contou com a ajuda de outro Quadrifoglio que vinha logo atrás, com o piloto David Brise dando as instruções – ele dizia a Morris quando acelerar, quando frear e que direção seguir.

A ideia era homenagear o recorde que o italiano Nino Farina, que em 1950 quebrou o recorde do circuito com um monoposto Alfa Romeo 159 Alfetta. Coincidentemente, Farina também virou 1min44s na ocasião. A diferença é que seu carro era um monoposto de Fórmula 1 com um oito-em-linha supercharged de 1,5 litro e 450 cv – o que só mostra o quanto os esportivos de rua evoluíram em seis décadas.

 

O trajeto mais longo em um carro movido a café

Muitos de nós só conseguem começar o dia depois de uma boa xícara de café. E que tal um carro movido a café? Ele existe, e se chama “Car-puccino”. Trata-se de um Volkswagen Scirocco de segunda geração modificado, feito pelo programa britânico Bang goes the Theory. 

A verdade é que, embora tenha sido noticiado como “movido a café”, o carro funciona de forma não muito diferente de um veículo a vapor: os gases provenientes da combustão dos grãos de café são o que empurra os pistões. De acordo com o programa, o Car-puccino é capaz de rodar pouco mais de 4,5 km com 1 kg de grãos de café.

Para provar que era possível usar o veículo em um ambiente urbano, os apresentadores do programa conseguiram percorrer os 337 km que separam Londres de Manchester usando 68 kg de café – parando a cada 50 km para abastecer o depósito de grãos e limpar o sistema de combustível dos resíduos.

 

O salto em rampa mais longo do mundo em um Ford Crown Victoria

Falando em recordes específicos: há alguns anos, o piloto Ryan Stock decidiu dar o salto em rampa mais longo do mundo… em um Ford Crown Victoria. O tradicional sedã norte-americano é conhecido por sua robustez – não por acaso ele foi uma das viaturas policiais mais populares e longevas dos Estados Unidos.

Não se encontra muitas informações acerca do recorde, exceto pelo fato de ter sido uma atração no programa Guinea Pig, do Discovery Channel por um vídeo na Internet e pela distância percorrida: 39 metros. E o vídeo mostra que, apesar de ter conseguido bater o recorde, o salto de Ryan não foi muito bem sucedido: ele deveria voar sobre uma fileira de carros, mas acabou aterrissando sobre um deles. Por sorte, os equipamentos de segurança com os quais o Crown Vic estava equipado deram conta de protegê-lo, e ele saiu do acidente praticamente ileso, apesar da preocupação inicial da equipe de salvamento.

A propósito, o recorde absoluto de salto sobre rampa mais longo com qualquer carro foi realizado por Travis Pastrana, que em dezembro de 2009 percorreu 81,99 metros com Subaru Impreza em uma arena montada em Long Beach, Califórnia.

 

A maior quantidade de donuts feitos em sequência

Quem já fez um donut (ou, como se diz no Brasil, um “zerinho”) com um carro diz que é algo extremamente divertido, embora alguns entusiastas digam que é besteira. Ainda assim, o recorde de maior quantidade de donuts feitos em sequência é notável: 280 voltas com um Westfield Sport 1600 – clone do Lotus Seven vendido como kit car equipado com um quatro-cilindros Opel de 1,6 litro e 155 cv – em setembro de 2011.

Com ele, o piloto britânico Jamie Morrow ficou 17 minutos realizando a manobra em frente a uma plateia de 5.000 pessoas, durante um encontro chamado “Trax Ultimate Performance Car Event” realizado em SIlverstone. O recorde anterior também pertencia a um britânico, Terry Grant, que em fevereiro do mesmo ano havia dado 161 voltas com um Caterham Seven.

 

Os estranhos recordes de Kapil Gehlot

Um indiano chamado Kapil Gehlot possui sob seu nome uma variedade de recordes curiosos envolvendo carros e seu próprio corpo. Em 2012, usando sua própria barba, ele puxou uma van de 2.205 kg amarrada a sua barba por 40 metros. Detalhe: ele estava usando patins. O recorde, porém, não levava em conta a distância, e sim o peso do veículo.

Antes disto, ele já havia puxado um caminhão Tata de 9.300 kg preso a seu corpo – não sobre sua barba, por sorte. É o veículo mais pesado já puxado por uma pessoa usando patins.

Em 2015, Kapil decidiu testar a força de seus longos cabelos. Assim, ele amarrou uma van de 1.600 kg e, novamente, a puxou por 120 metros metros usando patins. Não foi apenas o veículo mais pesado já puxado por uma pessoa de patins usando os cabelos, mas também a maior distância percorrida em tal empreitada.

O motivo? Simples: de acordo com Kapil, ele simplesmente gosta de quebrar recordes e da atenção – além disso, ele diz que faz estas coisas para promover a patinação para o mundo todo.

 

Kevin Fast, o pastor mais forte do mundo

Agora, se o assunto são recordes específicos, dificilmente alguém será capaz de bater Kevin Fast. O canadense de 57 anos já é dono do recorde de pastor mais forte do mundo – sim, isto é um recorde. E ele demonstra sua força, muitas vezes, puxando veículos extremamente pesados.

Um de seus recordes automotivos na verdade foi estabelecido com a ajuda de um caminhão de bombeiros de 99.060 kg. Foi em julho de 2017, para comemorar de uma forma inusitada os 150 anos do Canadá. Foi o recorde de “veículo mais pesado puxado por mais de 30 metros”.

Poucos meses depois, em setembro de 2017, Fast decidiu tentar a “parte 2” do recorde – desta vez, empurrando o veículo. No caso, foi um caminhão de 11.080 kg, que ele também empurrou por mais de 30 metros.

Kevin se diverte dizendo que a maior parte das pessoas que o conhece pela primeira vez duvida que ele seja mesmo um pastor – profissão que ele segue há mais de 25 anos. “Quase todos os pastores são pequenos e fracos”, ele diz. “Mas eu não.” Kevin Fast prova que a fé não move apenas montanhas, mas também caminhões. E os músculos ajudam, claro.

 

ESTE Gol GTS 1.8
PODE SER SEU!

Clique aqui e veja como