A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
História

Turbine: o motor Chrysler de rua que vai até 44500 rpm

A ideia básica era extremamente simples: um tubo com dois ventiladores dentro, unidos por um eixo. O da frente do tubo chamamos de "compressor", e o de trás, "turbina". Entre os dois, injeta-se combustível e uma vela acende ele. A combustão gira o ventilador de trás, que por sua vez gira o da frente (na verdade um compressor de ar), empurrando mais ar para a câmara de combustão no meio, acelerando o processo, ad infinitum. O popular motor "a jato" na verdade é bem mais complexo, mas o princípio de funcionamento, como descrito, é extremamente simples. O inglês Frank Whittle é normalmente creditado por inaugurar a era do jato com seus desenhos de motor a turbina em 1930. Segue-se uma corrida para desenvolvimento desses motores, para uso em aeronaves de guerra. Os alemães da Luftwaffe tem um caça a jato operacional já em 1942, e o mundo da aviação nunca mais foi o mesmo depois disso. Quando a guerra acaba, não demora para enormes aviões a jato de passageiros cruzarem o mundo, encurtando

Matérias relacionadas

Camaro Yenko: o carro que ensinou a Chevrolet que um motor maior é sempre melhor

Dalmo Hernandes

Super Blackbird: a história da Honda CBR1100XX

Dalmo Hernandes

WRC BR: quando o Campeonato Mundial de Rali veio para o Brasil

Dalmo Hernandes