FlatOut!
Image default
Edições anteriores

FlatOut Edição 125: um Acura Integra espetacular no Brasil, Guia de Compra BMW E90 e mais!


Caros leitores, muito bem-vindos à mais nova edição do FlatOut Brasil! Aqui temos elencadas as matérias exclusivas para assinantes. Caso você ainda não faça parte do universo do FlatOut, clique aqui e assine agora mesmo! Caso queira conferir as edições anteriores, clique na imagem abaixo.


 

FlatOut Street

Quantos Acura Integra de terceira geração você já viu no Brasil? Nenhum? Um? Talvez dois? Quantos deles eram como este aí da foto? Porque foi o estado de conservação — e a história de recuperação do carro, que o colocou como destaque do FlatOut Street desta semana.

A evolução do Acura Integra de Leandro | FlatOut Street


 

Guia de Compra

O último BMW série 3 com um seis em linha aspirado. E o primeiro a oferecer turbo nesse seis em linha, fazendo um quase-M3 extremamente desejável, o 335i. Mas ele não é difícil de manter? Problemático? Hoje, contamos toda a verdade a respeito do BMW E90 (2006-2012).

BMW E90: tudo o que você precisa saber antes de comprar


 

Mercado

Como seria o mercado brasileiro se liberassem a importação de carros usados? Haveria mais opções? Preços mais baixos? Há um projeto de lei no Congresso sobre isso, e na semana passada rolou a primeira audiência pública para discuti-lo. Aproveitando o tema em alta, expusemos alguns fatos sobre o mercado de usados, algumas opções que poderíamos importar e quanto eles custariam.

A importação de carros usados não será como você imagina


 

Car Culture

“Em 1996, o improvável fabricante que era a loja de acessórios Tomita, de Kyoto, iniciou a produção de seu carro esporte original, o Tommykaira ZZ. Foi totalmente desenhado por Kikuo Kaira como uma barchetta, um carro esporte espartano nos moldes do Lotus Seven, Lotus Elise, e Renault Sport Spider.”

Uma loja de acessórios se torna preparador famoso, e depois produtor de carros esporte, só para depois vender seu principal projeto para outra rede de lojas de acessórios japonesa. Uma história totalmente JDM.

Tommykaira: o lado B do Japão


 

É claro que você já notou os faróis amarelos nos carros franceses do passado. Mas você já se perguntou o porquê disso? Se era obrigatório ou apenas uma tendência local?

Por que os carros da França usavam faróis amarelos?


 

História

Sim, a Puma testou, no início dos anos 1970, um motor de oito cilindros contrapostos refrigerado a ar, ostensivamente baseado na arquitetura VW, mas de desenho próprio. Ficou apenas em um protótipo, mas é, até hoje, uma história que faz entusiastas sonharem acordados com o tamanho da oportunidade que, no fim, foi perdida. Uma realidade alternativa muito legal de se imaginar.

Puma oito-cilindros: um sonho brasileiro


 

 Clássicos

“O sucesso do Grand Cherokee não veio à toa; é um carro que, consumo de lado, é excelente em todo uso que uma pessoa pode fazer de um carro. De carregar cargas a rebocar coisas diversas; de chegar a lugares de difícil acesso sem problema a rodar confortavelmente em estrada; de fazer curvas decentemente a dar pau naquele Miata no grand-prix do sinal verde, é um carro que todo dono não falha em amar de paixão. Uma extensão do que podemos fazer com um automóvel, uma caixa de surpresas de habilidades inesperadas da melhor qualidade. E definitivamente um ícone dos anos 1990.”

Ícones dos anos 1990: Jeep Grand Cherokee (ZJ)


 

Motos

“Daquele motor complexo e belo emana o mais musical berro que um motor de quatro cilindros já produziu. Alto? Sim. Inconveniente? Sim também. Mas é simplesmente música para os ouvidos do entusiasta, e ouvir este motor sendo acelerado até o seu limite de giros acorda fantasmas de uma épica história em competições. Sim, o barulho é tão forte, e carrega tanto significado, que certamente pode acordar os mortos! Ou pelo menos alguns fantasmas de seus criadores.” As mais exóticas motos que saíram da Itália certamente foram as MV-Agusta originais de quatro cilindros, quando quatro cilindros era algo inacreditável em motocicletas.

Quatro cilindros italianos: a história da MV-Agusta


 

Goodguys

Você já viu um carro restaurado e teve a impressão de que a pintura ficou grosseira demais? Ou que os vincos da carroceria foram suavizados ou simplesmente a sensação de que alguma coisa não está certa com o visual do carro? Não me refiro às “cascas de laranja” na pintura. Mas a uma pintura que é impecavelmente lisa e espelhada, mas não é tão agradável aos olhos? Esse problema acontece quando se usa a técnica inadequada para a repintura do carro, e é mais comum do que parece.

É por isso que, durante o processo de repintura do Uno 1.5R que vamos sortear entre vocês, leitores e assinantes, não nos contentamos em “mandar o carro para a pintura”. Nós buscamos os especialistas da New Car, explicamos para eles o que esperávamos da restauração da carroceria e, com a experiência de décadas no ramo, o método foi definido. O resultado ficou espetacular e, além de deixar o Uno com um aspecto digno dos melhores concursos de clássicos, também foi o ponto de partida para este guia rápido com os cuidados e recomendações que você deve levar em conta na hora de repintar seu carro antigo — especialmente dos anos 1980 e 1990.

Os cuidados para repintar um carro dos anos 1980 e 1990 – e a receita do nosso Uno 1.5R


 

Automobilismo

O Autódromo Internacional de Curitiba corre o risco de desaparecer, sucumbindo à especulação imobiliária.
Explicamos como o autódromo chegou a esta situação e o que pode ser feito em seu lugar, além de apontar as possíveis saídas para mantê-lo ativo.

Entenda a situação do Autódromo Internacional de Curitiba

Este Uno 1.5R pode ser seu!

Participe!

Clique aqui e veja como

Compartilhe agora