A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Edições anteriores

FlatOut Edição 52: o adeus a Sir Stirling Moss, os novos clássicos dos anos 1990, a invenção do motor V12 e mais!

Caros leitores, muito bem vindos à mais nova edição do FlatOut Brasil! Aqui temos elencadas as matérias exclusivas para assinantes. Caso você ainda não faça parte do universo do FlatOut, clique aqui e assine agora mesmo! Caso queira conferir as edições anteriores, clique na imagem abaixo.


 

FlatOut Classics

Restaurar um carro parece fácil na TV, não é mesmo? Pois esta é a magia da TV. Vídeos de 10 minutos levam mais de três horas. Imagine uma restauração completa. No FlatOut Classics desta semana, trazemos a história deste absurdamente belíssimo Charger R/T 1976, que foi restaurado por inteiro durante um período que você jamais poderia imaginar.

Diogo e seu Dodge Charger R/T 1976 | FlatOut Classics


 

Automobilismo

Qual o preço do caráter e da honestidade? Em 1958 Stirling Moss era o favorito ao título mundial de F1 e ele teve uma boa chance de sair na frente de seu principal adversário, mas fez o que deveria ser feito diante de uma injustiça — e isso lhe custou o título que ele nunca teve a chance de conquistar.

Quando Stirling Moss perdeu o campeonato de Fórmula 1 por fazer o que era certo


 

Games

Olhando hoje, “Hard Drivin'” parece um game 3D todo quadradão, com carros que parecem a picape da Tesla e interface totalmente datada. Há 30 anos, porém, o arcade da Atari foi uma revolução nos jogos de corrida, pioneiro em diversos aspectos.

Hard Drivin’: o revolucionário arcade da Atari | FlatOut Retro Review


 

História

Como apareceu o primeiro V12 da história? E como uma história de um carro de luxo americano, de antes de 1920, pode ter influenciado Enzo Ferrari a criar seus famosos V12?

Packard Twin-Six: a origem e a invenção do motor V12


 

Em meio à Segunda Guerra Mundial, os exército nazista começou a acreditar que tanques maiores venceriam o conflito. Não era verdade, mas a ideia deu origem a alguns dos projetos de tanque mais absurdos da história.

Maus, Ratte e Monster: os insanos supertanques que os nazistas quase fizeram


 

Car Culture

American Grafitti é um filme que fala principalmente sobre a transição da adolescência para a idade adulta e o que significa definir e redefinir a si mesmo. É um filme sobre o amor romântico, sobre temer o que significa e ao mesmo tempo ansiar desesperadamente por ele. É um filme sobre nostalgia, tanto em suas armadilhas quanto em sua beleza. Mas é também um filme sobre carros. Nele, os carros são personagens, tão importantes quanto os de carne e osso. Talvez até mais importantes.

Os carros de American Grafitti


Pensatas

Teto solar em carro 1.0. Painel digital opcional em todo Polo, e não só nas versões caras. Câmbio manual e banco em tecido em Mercedes e BMW. Motor grande opcional no carro básico. Por que não podemos ter tudo isso?

Onde foram parar os opcionais e a variedade de escolha?


 

Clássicos

“Que coisa maravilhosa é aquilo, gente. A embreagem tem curso curto, lá embaixo, e a troca de marcha, principalmente de primeira para a segunda, requer tempo e cuidado para não arranhar, mas quando se faz tudo direito, é um prazer supremo. O berro é um crescendo como o de dois seis em linha nervosos em estéreo dolby-surround, até a linha vermelha do tacômetro. Chegando lá na linha vermelha, um sonoro cleCLÉC!, feito com vontade e cuidado numa alavanca mecânica, gostosa, precisa como ferrolho de rifle, faz tudo começar de novo. Se fizesse só isso até o resto de meus dias, já seria um cara feliz. Um sujeito definitivamente não precisa de mais nada além disso.”

Ícones dos anos 1990: Ferrari 456GT


 

“Era para ser uma resposta fácil: “De onde veio sua paixão por carros?” Mas depois de escrever e apagar a resposta cinco ou seis vezes, desisti e comecei a pensar em como isso aconteceu. […] Certamente foi o contato direto com os importados dos anos 1990 na época em que tudo estava acontecendo.”

Como os importados dos anos 1990 me tornaram um entusiasta – mesmo antes de poder dirigir


Técnica

Smokey Yunick era um construtor diferente dos outros: em vez de decorar o que estava escrito no regulamento, ele sabia mesmo o que não estava escrito. E com isso teve algumas das soluções mais, digamos, criativas para seus carros. Separamos seis delas para inspirar seus project cars!

6 trapaç… “soluções criativas” de Smokey Yunick para inspirar seu Project Car


 

Ultimamente elas têm sido muito usadas por razões estéticas em projetos com inspiração retrô, mas sua razão de existir sempre foi 100% funcional. Como elas funcionava e quais eram as vantagens?

Turbofan wheels: como funcionam as rodas e calotas aerodinâmicas dos anos 1970 e 1980?


 

Matérias relacionadas

FlatOut Edição 24: os 30 anos do Mazda Miata, a “humanização do trânsito, a história do Fuji Speedway e mais!

Leonardo Contesini

FlatOut Edição 38: os carros do Irã, Karmann Ghia no FlatOut Classics, os novos “placa preta” brasileiros e mais!

Leonardo Contesini

FlatOut Edição 05: aceleramos Argo Trekking e Range Rover Velar, nosso adeus a Niki Lauda e mais!

Leonardo Contesini