A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Edições anteriores

FlatOut Edição 93: Chevrolet El Camino “396”, Emerson Fittipaldi na Alemanha em 72, guia de usados e mais!

Caros leitores, muito bem vindos à mais nova edição do FlatOut Brasil! Aqui temos elencadas as matérias exclusivas para assinantes. Caso você ainda não faça parte do universo do FlatOut, clique aqui e assine agora mesmo! Caso queira conferir as edições anteriores, clique na imagem abaixo.


 

FlatOut Street

Chevrolet El Camino é raro no Brasil, e ainda mais um SS 1968 com um V8 preparado forte, e um estado de conservação impecável como este. No Flatout Street contamos tudo sobre esta picape muito especial. E com uma super galeria de fotos exclusiva.

Chevrolet El Camino 1968 | FlatOut Street


 

Automobilismo

Já imaginou ter de comprar gasolina no posto durante um treino de F1?
Aconteceu com Emerson Fittipaldi em 1972 e é claro que o FlatOut conta esta história.

Quando Emerson Fittipaldi teve que comprar combustível durante os treinos do GP da Alemanha


 

Técnica

Continuando a série dos motores mais populares do Brasil, contamos a história do Zetec Rocam e do Zetec-S/Sigma, além de listar todas as versões que e estes motores tiveram por aqui. Tem até motor de corrida!

Zetec Rocam e Sigma: tudo o que você precisa saber sobre estes motores Ford


 

História

“As apostas eram realmente altas, e muito estava em jogo. Se Ford perdesse, ele poderia ser forçado a fechar o seu negócio. Mas ele lutou de uma forma única, que apelou aos mais profundos e mais reverenciados valores americanos, ganhando um incrível apoio da opinião pública. O processo judicial da patente de George Selden transformou Henry Ford, definitivamente, em um herói popular.”

Ford vs Selden: o nascimento de um mito.


 

 

Kei Cars: de onde vieram? Onde vivem? Do que se alimentam? Brincadeiras à parte, de quem foi a ideia de criar carros com motor de moto que pagam menos impostos e têm todos os formatos e configurações mecânicas?

Pequenos prodígios: como os kei cars ajudaram a criar a indústria automobilística do Japão


 

Em 1985, a General Motors realizou uma manobra ousada: criou uma nova marca, totalmente independente, para fabricar carros inovadores e combater os importados do Japão. Algo impensável hoje em dia. O que começou de forma muito bem intencionada e competente, porém, não durou muito, e a Saturn se tornou tudo o que prometeu nunca se tornar antes de morrer.

Saturn: o nascimento e a morte de uma marca incompreendida


 

Até os anos 2000, o computador de bordo estava reservado às versões mais caras ou a carros de luxo. Mas pouco se fala sobre como um VW arrefecido a ar foi o primeiro carro produzido em massa com uma espécie de computador embutido.

O nascimento e a evolução do computador de bordo


 

Clássicos

Alpine. Uma marca antes independente que sempre influenciou a Renault a ser mais do que ela jamais imaginou. Das vitórias em Le Mans e Fórmula 1 aos carros de rua R.S., tudo começa pela empresa de Dieppe.

Alpine: a alma esporte da Renault


 

O roadster simples e esportivo teve um grande ressurgimento nos anos 1990, provocando uma reação da Mercedes-Benz. Como não poderia deixar de ser, o carro dela acabou sendo e mais pesado e mais complexo de todos eles. Mas isto era uma vantagem, ou um fardo?

Ícones dos anos 1990: Mercedes-Benz SLK (R170)


 

Car Culture

Antes de Clarkson e companhia, o mais famoso e influente jornalista automobilístico do mundo era sem dúvida Leonard “LJK” Setright, da revista CAR inglesa. Excêntrico, erudito, eloquente, controverso, politicamente incorreto, profundamente religioso. Amante de Bristols e de Hondas. Setright era um pensador independente que não tinha medo de dar sua opinião, mesmo que fosse contrária a de todos seus colegas de profissão.

Lembrando LJK Setright


 

“Se o Agente acordasse, em um dia qualquer, e percebesse que havia voltado 100 anos – talvez um pouco mais, talvez um pouco menos – no tempo, só teria uma preocupação: não passar às pessoas a impressão equivocada de que o futuro (no caso, seu presente) havia virado um deserto pós-apocalíptico. Ele conhecia Mad Max muito bem e, por mais que a ideia fosse fascinante, detestaria ser o portador das más notícias. Por sorte, não havia más notícias. Não nesse sentido.” O futuro de Mad Max não aconteceu. Mas, para o Agente, isto não era bem uma coisa boa.

O futuro de Mad Max não aconteceu | O Agente


 

Guia de usados

Pensando em um carro para curtir por entre R$ 65.000 e R$ 75.000? Ou então em um carro para a família nesta faixa de preço?

Cinco carros para todo tipo de uso por entre R$ 65.000 e R$ 75.000 | Guia FlatOut de Carros Usados


 

Matérias relacionadas

FlatOut Edição 44: importação de carros usados, Calibra e Impala no Classics, a história da Holden e mais!

Leonardo Contesini

FlatOut Edição 03: a história da Leyton House Racing, os M3 E30 de seis cilindros, a evolução do Circuito da Catalunha e mais!

Leonardo Contesini

FlatOut Edição #70: Peugeot 205 GTi, Guia de Compra do Opala Cupê, Ford Territory contra todos e mais!

Leonardo Contesini